11 outubro 2012

Sobre fraqueza e infância

É difícil explicar quando me vejo confrontada com coisas que um dia já foram objetivos e que hoje não passam de lembranças. São inúmeros os assuntos inacabados e eles estão por toda a parte. As artes nas paredes, que consumiam madrugadas para serem feitas, hoje olham para mim apontando a fraqueza de seguir em frente no que quer que seja.



Uma das inúmeras coisas das quais desisti acabou aparecendo para mim e eu fiquei sem reação. O belíssimo e maltratado piano marrom, ali, encarando, e toda a minha infância passou diante dos meus olhos. As inúmeras aulas, o tecladinho que ganhei pra praticar em casa, as folhas de partitura e os cadernos cheios de linhas que jamais conseguia preencher com todos aqueles símbolos. Lembrei das aulas de flauta e de como ficava chateada de não poder ainda tocar realmente no piano, lembro do quintal da escola de música cheio de árvores, de andar por entre as pernas compridas dos adultos e dos professores.

A única coisa que não consigo lembrar é porque desisti.




E nesse dia, sendo encarada naquela sala branca pelo piano surrado de tanto uso, a única coisa que pude fazer foi sentar e fotografar com mãos trêmulas e culpadas. As mesmas mãos que se perdiam entre teclas se perdem hoje pelo botão do obturador e eu me pergunto quando vou desistir disto também.



Para o post não ficar muito melodramático, deixo com vocês uma garota que realmente sabe tocar:


3 comentários:

  1. Que fotografias magníficas desse piano incrível! Ficaram realmente lindas.
    Eu fico triste que você tenha desistido de algo que visivelmente tanto ama. Às vezes a vida nos leva a lugares que nunca imaginaríamos que pudéssemos chegar, mas acaba fazendo com que deixemos coisas para trás, da qual possamos nos arrepender...
    Mas a escolha de trazer essas coisas de volta para a sua vida depende apenas de você...

    ResponderExcluir
  2. Não é motivo de vergonha assumir fraqueza, é algo natural e que acontece com todos. Afinal, a dor é individual e cada um sabe das suas dificuldades em relação aos obstáculos que nos são impostos.

    Mas se eu posso dar um conselho: tente até ficar exausta. Assim não terá aquela sensação torturante do 'e se...'

    Como bem dito acima: "a escolha de trazer isso de volta pra sua vida depende de vc."

    Beijos.

    ResponderExcluir
  3. Lindas imagens.

    Sempre em tempo, amada, sempre em tempo!
    Um dos meus sonhos? Aprender a tocar violino! Nunca desisti da ideia. Se vou aprender nesta vida? Não sei, quero muito mas não sei. Sei que, se não der nessa, que fique para a próxima. Assim como outros sonhos de aprender montaria, arqueria, dirigir um triciclo... rsrs

    Caraio! Toca MUITO esse guria. Não só toca, incorpora na interpretação da música, paguei um pau.

    <3

    ResponderExcluir

Infelizmente o sistema de comentários do Blogger não é dos melhores, no entanto, eu sempre respondo, e vou adorar saber sua opinião sobre o assunto do post. Para ver minha resposta clique em "notifique-me".

Obrigada!